Gestão Deusdete Gomes fracassa na área da saúde em Angicos

Postado por Modesto Neto às 03:44


Por Modesto Neto

Qualquer gestão – pública ou privada – é marcada por acertos e erros, sucessos e fracassos, vitórias e derrotas. Essa é a lógica que rege a coisa pública no Brasil. Na cidade de Angicos, o prefeito tucano Deusdete Gomes caminha para completar seus cinco meses de administração à frente da Prefeitura Municipal de Angicos, mas por enquanto o gestor amarga mais erros que acertos. Essa é a realidade dura das coisas, camufla-la é impossível. 

Antes de concluir o primeiro semestre de seu mandato, o prefeito já tratou de demitir dois secretários municipais: os titulares da pasta de Agricultura e Tributação já deixaram a administração. As demissões ocorreram em função de divergências internas no consorcio governista (PMDB e PSDB) nos embates em torno da eleição para a presidência do Legislativo local. Contudo, não é na articulação política que a gestão comete seus principais erros. 

A gestão Deusdete Gomes tem a vereadora licenciada Nataly Felipe no comando da Secretaria Municipal de Saúde e apesar de ter iniciado seu trabalho no primeiro dia do ano (1º de janeiro) ainda não conseguiu garantir o fornecimento de medicamentos de uso continuo para à população. Quase cinco meses sem garantir remédios para à população carente é lamentável. Até bem pouco tempo atrás, os postos de saúde da família não contavam com médicos e por vários dias à população ficou privada de ser atendida na rede municipal de saúde. 

Na última terça (16) o ônibus da Secretaria de Saúde de Angicos que transportava pacientes que voltavam de Natal para Angicos, foi interceptado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) que impediu que o veículo continuasse seu trajeto, estando com quatro pneus sem condições mínimas de trafego. Apesar de bizarro esse não é o único episódio que narra os equívocos da gestão na área da saúde. 

O certo é que o setor de combate as endemias funciona regularmente na Secretaria Municipal de Saúde, mas aparentemente os desafios da saúde pública exigem mais do que a secretária pode ofertar à população. Genuinamente torcemos para que a gestão da saúde possa corrigir os equívocos e acertar nas suas principais ações. Enquanto os acertos não cobrirem o avolumado dos erros, apenas um veredicto é plausível: a gestão Deusdete Gomes fracassa na área da saúde. Esses erros tem cobrado um alto custo e infelizmente é população mais pobre da cidade que tem pagado a conta.

(*) Modesto Neto é historiador, cientista social e ex-candidato à prefeito de Angicos pelo PSOL nas eleições de 2016.
Categorias: