Netflix conta a história do Papa Francisco

Postado por Modesto Neto às 13:09

O diretor e roterista italiano Daniele Luchetti foi o indicado pela Netflix para produzir a série “Pode me chamar de Francisco”, que conta a trajetória de Francisco, o atual sumo pontífice da Igreja Católica.  A primeira temporada da série já está disponível na plataforma da Netflix e atrai os olhares de religiosos, ateus, historiadores e curiosos que assinam os serviços da empresa.

Luchetti já produziu e dirigiu o filme Meu irmão é filho único (2008), onde explora o drama psicológico entre dois irmãos, um comunista e um fascista, que disputam a mesma mulher.  O diretor fez o uso de sua capacidade de explorar conflitos psicológicos e contradições para ilustrar as relações que a Igreja estabeleceu com a ditadura argentina. 

A primeira temporada tornou-se essencialmente política. O jovem padre Jorge Mario Bergoglio , com origens políticas no peronismo e na esquerda, enfrenta os desafios de viver em um país dividido e tomado pelo terrorismo de Estado: perde amigos, esconde militantes políticos e tenta intermediar conflitos. 

A equipe de produção da Netflix ficou atenta aos detalhes históricos imprescindíveis e retrata a Argentina dos anos 1960-1980 com maestria. O amor do Papa pelo futebol também foi bem explorado, o torcedor do San Lorenzo não deixa de fazer pequenos comentários sobre futebol durante a série. 

Rodrigo De La Serna e Sergio Hernandez, são os atores que dividem o papel principal, representando fases diferentes da vida de Francisco. Mercedes Morán, Muriel Santa Ana, Álex Brendmuhl e Maximilian Dirr completam o elenco. O último episódio da primeira temporada coroa a produção de Luchetti com o Conclave que elege Jorge Mario Bergoglio como o primeiro Papa Sul-Americano da história da Igreja em 2013. 

Categorias: