PSOL emite nota sobre eleições em 2016 em Angicos

Postado por Modesto Neto às 18:04

O Diretório local do PSOL em Angicos lançou nota pública que pode ser acessada na Página do Partido sobre a crise e as eleições de 2016 na cidade. Veja abaixo a nota.


NOTA DO PSOL ANGICOS (RN) SOBRE A CRISE E AS ELEIÇÕES DE 2016: SUPERAR A CRISE COM SAÍDA DEMOCRÁTICA E EM DEFESA DE UM PROJETO POPULAR E SOCIALISTA PARA A CIDADE

O PSOL em Angicos, região Central do Rio Grande do Norte, após longa plenária ampliada de seu Diretório ocorrida neste sábado (26 de março), que colocou sob exame criterioso a atual conjuntura brasileira e a situação política local, torna público e apresenta ao conjunto da sociedade o seu posicionamento frente a crise e as Eleições de 2016. Nesta nota está expressa a síntese de nossa linha política e as recomendações a nossa militância.

1. O Brasil atravessa a mais grave crise capitalista dos últimos 30 anos. O agravamento da crise leva o país ao estado de convulsão econômica, política e social, marcado por escândalos de corrupção e um violento Ajuste Fiscal, liderado pelo Governo Dilma e descarregado contra os trabalhadores. O esgotamento da política de conciliação de classes do PT permitiu o avanço de setores burgos, fascistas e conservadores que devemos combater em todas as frentes de luta. O PSOL Angicos entende que o atual dilema brasileiro é a superação da crise com saída democrática e popular, por isso reivindicamos a saída da Presidência e do Congresso Nacional e o chamamento de Eleições Gerais. Defendemos ainda a constituição de uma Frente Social da Esquerda Socialista para enfrentar os ataques da direita e do Governo Dilma.  

2. O PSOL Angicos se afirma pela oposição revolucionária ao Governo Dilma e ao Congresso Nacional liderado por Eduardo Cunha e Renan Calheiros. A mesma linha de oposição se aplica ao Governo Robinson Faria e ao presidente da AL-RN, Ezequiel Ferreira. Em Angicos estamos nas trincheiras da oposição ao Governo Junior Batista e a presidenta da Câmara local, Nataly Felipe. PT, PSDB, DEM, PSD e os partidos da ordem, não representam alternativa para os trabalhadores, a juventude e o povo pobre. Contra a burocracia de governos e parlamentos burgueses estaremos presentes em todas as lutas pelo avanço da organização e da consciência das massas.

3. O PSOL Angicos afirma a sua presença na disputa majoritária nas eleições de 2016 e comunica que esse projeto é inegociável. Reafirmamos que a pré-candidatura ao Executivo do professor e cientista social, Modesto Neto, representa um projeto radicalmente democrático, socialista e popular para a cidade. O companheiro Modesto Neto tem um inquestionável histórico de lutas e foi escolhido como nosso pré-candidato, no III Congresso do PSOL, em virtude de ser o quadro político mais preparado para carregar o nosso programa e nele depositamos toda nossa confiança.

4. Para construir um projeto verdadeiramente socialista que se expresse com peso social na cidade o PSOL Angicos declara veto a todas as coligações com os partidos da ordem (conforme estabelece a Resolução Nº. 01/2015) e orienta nossos dirigentes a buscar estabelecer uma aliança duradoura, para as lutas e as eleições, com os parceiros históricos da classe trabalhadora e a massa expropriada. Neste sentido convocados partidos e organizações da esquerda a participarem na condução desse projeto político. Convocamos correntes internas do PSOL, Coletivo Transição, Partido Operário Revolucionário (POR), MRT, PCB e PSTU a fortalecerem e dirigirem um projeto político na cidade de Angicos, berço da experiência educacional revolucionária de Paulo Freire. Além das organizações da esquerda, devemos ter relações orgânicas com todos os movimentos sociais da cidade e do campo, e, em especial os movimentos de trabalhadores, estudantes e professores da UFERSA.

5. A nossa futura candidatura majoritária deve estar alicerçada em um projeto classista, radicalmente democrático e popular, a serviço das lutas sociais e em defesa do avanço da organização e da consciência de classe do povo. Reafirmamos a defesa intransigente da cidade para as pessoas: contra os privilégios dos políticos e dos poderosos e a favor da ampliação dos direitos dos trabalhadores e das conquistas sociais da juventude e dos excluídos. Os limites do processo eleitoral burguês são flagrantes, mas não enxergamos o processo eleitoral com um fim em si mesmo. Nossos sonhos não cabem nas urnas! Lutar antes, durante e depois das eleições pela construção de uma nova sociedade!  

Angicos/RN, em 26 de março de 2016.

Johnata Cavalcante de Macêdo

Presidente
Categorias: