Relator do caso Cunha diz estar sob ameaças

Postado por Modesto Neto às 00:19



Numa reunião a portas fechadas, o deputado Fausto Pinato (PRB-SP), relator do caso Cunha no Conselho de Ética da Câmara, informou ter recebido ameaças. Ele relatou aos colegas duas passagens. Numa, diz ter notado que pessoas estranhas rondaram sua residência, na cidade de Fernandópolis (SP). Noutra, seu morotista foi abordado por um desconhecido, na quinta-feira da semana passada.

Pinato voava de Brasília para São Paulo. Contou que seu motorista o aguardava no aeroporto quando um homem bateu no vidro do carro. Desejava mandar “um recado”. Disse ao motorista que avisasse ao seu “patrão” que “ele tem uma família bonita e deveria cuidar da vida”. O deputado fez menção a uma terceira “ameaça”. Mas se recusou a dar detalhes, mesmo na reunião reservada.

O presidente do Conselho de Ética da Câmara, José Carlos Araújo (PSD-BA), informou que enviaria um ofício ao ministro José Eduardo Cardozo (Justiça), pedindo um investigação da Polícia Federal e proteção policial para o relator, cujo parecer recomenda a continuidade do processo que pode levar à cassação de Eduardo Cunha. Pinato esclareceu que já está sob proteção da polícia de São Paulo.

Participaram da reunião, além de Pinato e do presidente do conselho, os deputados Betinho Gomes (PSDB-PE), Nelson Marchezan Júnior (PSDB-RS), Valmir Pracidelli (PT-SP) e Alessandro Molon (Rede-RJ). Pinato deixou nos colegas a impressão de que está tenso, muito preocupado. Recebeu apoio e palavras de estímulo.


No final da conversa, entrou na sala o deputado Manoel Júnior (PMDB-PB), um dos integrantes da infantaria de Eduardo Cunha. No final da tarde, ao saber que Pinato relatara as ameaças, o presidente da Câmara viu-se compelido a enviar ao ministro da Justiça o pedido de investigação do caso e de providências para assegurar a integridade de Pinato e da família dele.
Categorias: