Marcelo Zelic: índios e camponeses ficaram em segundo plano na Comissão da Verdade

Postado por Modesto Neto às 12:04

No apagar das luzes de 2014, a Comissão Nacional da Verdade encerrou seus trabalhos e apresentou um relatório de mais de 4000 páginas. Para dar sequência às entrevistas em vídeo sobre este importante reencontro com a história, o Correio da Cidadania conversou com Marcelo Zelic, presidente do Grupo Tortura Nunca Mais, que colaborou com a Comissão nas pesquisas sobre os crimes contra os índios brasileiros de dez etnias.

Nesse campo específico, a CNV apurou cerca de 8000 assassinatos, muitíssimo acima dos números historicamente reconhecidos pelo Estado brasileiro. Por isso, Zelic lamentou que índios e camponeses tenham sido tratados como menos importantes, apesar de a Comissão oferecer um grande contraponto às atuais políticas voltadas a esses povos. Por fim, criticou fortemente o ministro da justiça, Jose Eduardo Cardozo, a quem acusa de travar qualquer avanço favorável aos povos indígenas.


Assista abaixo.


Categorias: