Passe Livre denuncia acordo entre UNE e prefeitura em São Paulo

Postado por Modesto Neto às 11:54

Site Guerrilha

Você lembra dos protestos contra o aumento da tarifa em São Paulo no começo de 2015? Lembra daquela reunião entre a UNE, UEE e UMES com o prefeito Fernando Haddad, que tinha como objetivo enfraquecer a luta contra o aumento da passagem de ônibus e metrô? Pois é, tá ai o resultado: bilhetes estudantis da SPtrans foram trocados por carteirinhas da UNE/UEE e UMES.

A prefeitura de Fernando Haddad, que já conta com um histórico de ignorar o chamado de movimentos sociais fora da área de influência petista, parece ter pagado uma singela dívida para a UNE: no começo de 2015, o MPL chamou vários protestos contra o aumento da passagem no transporte público (de 3 reais para 3,50). O primeiro ato, logo nos primeiros dias de janeiro, contou com mais de 30 mil pessoas, resultando na prisão de dezenas, diversos feridos e brutal repressão policial.

A partir dai, o prefeito petista começou a temer que um “novo junho” acabasse nascendo, novamente em sua administração. Dessa vez ele não iria deixar quieto. Resolveu convidar movimentos sociais para discutir a pauta de transporte público - mas o MPL não foi convidado. No caso, os movimentos escolhidos pelo prefeito foram a Juventude do PT, UNE, UEE e UMES. O objetivo, na época, segundo artigo publicado pelo jornal El Pais, era promover a pauta do Passe Livre Estudantil, promessa de Haddad no fim de 2014 para minar qualquer possibilidade de adesão popular aos protestos que aconteceriam em seguida.

MAS O ALMOÇO NÃO FOI DE GRAÇA. LEIA A NOTA DO MOVIMENTO PASSE LIVRE SOBRE O CASO E ENTENDA:

“As regras impostas pela Prefeitura de São Paulo para o uso do bilhete único tem sido uma catraca a mais na vida dos milhares de estudantes que utilizam o transporte público diariamente. No início do ano, foram inúmeros os problemas que os estudantes tiveram para adquirirem as cotas de passagem gratuita, para além das filas intermináveis. São muitos os relatos de estudantes que não conseguiram até hoje o passe estudantil ao qual têm direito, ainda que se encaixem nos critérios estabelecidos.

Agora, sem qualquer motivo justificável ou contato com a população, o direito de pagar meia passagem e o benefício das cotas tem sido negado. Isso simplesmente porque a Prefeitura resolveu trocar todos os bilhetes estudantis fornecidos pela SPtrans por carteirinhas da UNE/UEE/UMES!

Quem tem sabe: enquanto não chega a carteirinha, os créditos dos bilhetes únicos de estudante ficam bloqueados para novos carregamentos, e os estudantes são obrigados a pagar uma tarifa inteira!

O prefeito Haddad em um só ato obriga os estudantes a pagarem inteiramente a tarifa, enquanto esperam a nova carteirinha, e a e filiarem a uma entidade estudantil! Além disso, com o bilhete nico sendo uma carteirinha de estudante anual, todo ano os estudantes terão que se submeter novamente a toda a burocracia da Prefeitura para terem um novo cartão que permita utilizar o bilhete único de estudante.


Quando isso foi decido? Na reunião que a Prefeitura realizou de portas fechadas com entidades estudantis em janeiro deste ano, como se elas representassem a população que estava nas ruas lutando contra a tarifa?”
Categorias: